A vocação do CAPC é a divulgação da Arte através da prática expositiva, em que se dá a conhecer a experimentação e o questionamento dos artistas do seu tempo.

O CAPC pretende assim estabelecer pontes com quem usufrui da obra de arte. A sua ação não é a de um mero mediador, mas, antes, de ativo participante nesse processo — quer através dos artistas e das obras que propõe, quer através da sua coleção, construída ao longo dos seus 60 anos de existência e que se mostra, segundo distintas organizações e narrativas curatoriais, em diversos espaços próprios ou de outras instituições programadas, saindo da sua zona de conforto. Nesse permanente desejo de se confrontar com a sua história, inscreve-se também a revisitação da prática pedagógica desenvolvida nos anos 70 e 80 do século xx por Alberto Carneiro, Ângelo de Sousa e Túlia Saldanha.

Círculo Aberto

Num permanente desejo de se confrontar com a sua história, inscreve-se também a revisitação da prática pedagógica desenvolvida nos anos 70 e 80 do século xx por Alberto Carneiro, Ângelo de Sousa e Túlia Saldanha. Agora, com o Círculo Aberto, ateliê livre de artes visuais, o projeto que abre o espaço oficinal do CAPC à comunidade, regressa muito dessa experimentação plástica, com acompanhamento em regime de prática laboratorial. 

Visitas

Estão previstas visitas acompanhadas por artistas e/ou curadores às exposições patentes, seguidas de conversa aberta. 
É ainda possível marcar visitas para escolas, bem como estabelecer contacto para agendar uma sessão «O CAPC vai à escola».
Mais informações: esfera@capc.com.pt



 passadas
·
· Público Geral
· Escolas